o festival


Entre os dias 27 a 31 de julho de 2016, a pequena e charmosa Piacatuba, distrito de Leopoldina, Zona da Mata de Minas Gerais, será novamente palco do Festival de Viola de Piacatuba e Gastronomia.

Contribuindo para a produção e a valorização da música de Minas Gerais e de todo o país, o Festival de Viola chega a sua 14º edição com apresentações de grandes violeiros e uma mostra competitiva, revelando talentos.

O Festival de Viola surgiu em 2003 de forma tímida e sem grandes pretensões por Aristides e Gilberto. Em 2006, foi entregue a Maria Lúcia Braga e com apoio da Fundação Cultural Ormeo Junqueira Botelho, o patrocínio da Energisa, e alguns apoiadores, fizeram dele um festival com caráter profissional, transformando-o em um sucesso nacional. Neste mesmo ano começou o Festival de Gastronomia, que alavancou o Festival de Viola.

A cada ano cresce o público que comparece ao evento. A primeira chega a ser óbvio, é a qualidade das atrações musicais. Outra, são as delícias que oferecem nos restaurantes e bares. Ou seja, em um mesmo lugar, podem ser encontradas duas das maiores paixões dos mineiros: a música de viola e a culinária das Gerais. Tudo isso emoldurado por um cenário que encanta pessoas de todas as idades, a pequena e bucólica Piacatuba, com seu casario - onde podem ser encontrados exemplares do século XIX - e sua natureza exuberante, formada por montanhas e belas cachoeiras. Ainda há a cordialidade do povo de Piacatuba, uma gente hospitaleira e gentil.

Não contente em trazer ao público esses grandes artistas, o Festival de Viola presta um grande serviço à cultura brasileira, tem uma mostra competitiva disputada em duas etapas - regional e nacional - especializando em apontar novos talentos. Este ano o projeto será patrocinado pelo Energisa, Governo do Estado de Minas, Lei Estadual de Incentivo à Cultura, com apoio da Fundação Ormeo Junqueira Botelho, Prefeitura e Câmara Municipal de Leopoldina.

Prêmio Rozini de Excelência da Viola Caipira reconheceu trabalho de Maria Lúcia Braga na produção do Festival de Piacatuba

A música de viola caipira ganha cada vez mais espaço em todo país e merece ter um prêmio para distinguir artistas, produtores e divulgadores deste gênero musical. Uma espécie de Prêmio Grammy. Essa versão atende pelo nome de Prêmio Rozini de Excelência da Viola Caipira e laureou a leopoldinense Maria Lúcia Braga, produtora e coordenadora do Festival de Viola e Gastronomia de Piacatuba.

A festa aconteceu no dia 18 de janeiro de 2011 no Centro de Convenções do Minascentro, em Belo Horizonte. Cerca de 130 artistas e profissionais envolvidos com o universo da viola caipira no Brasil foram homenageados. Além de Maria Lúcia, foram homenageados nomes como os mineiros Renato Andrade, Chico Lobo e Pereira da Viola, os paulistas Inezita Barros e Rolando Boldrin e o matogrossense Sérgio Reis. A lista é grande, mas ainda tem artistas do quilate de Almir Sater, Ivan Vilela e Tavinho Moura.

O Prêmio Rozini presta uma homenagem à viola caipira em todos os seus aspectos, da literatura aos sites criados para a sua divulgação, passando por pesquisadores, programas de TV e eventos de viola, entre os quais o Festival de Piacatuba foi um dos mais elogiados. A premiação é um reconhecimento ao trabalho desenvolvido há oito anos por Maria Lúcia, que leva à pequena Piacatuba, na última semana de julho, pessoas de diversos pontos do Brasil. "Receber o prêmio Rozini, em meio à tanta gente boa e importante no mundo da viola é bastante gratificante, mas me dá uma responsabilidade ainda maior que é o de fazer um festival à altura do prestígio que hoje Piacatuba desfruta em todo o país", disse Maria Lúcia.